segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Festival de Música Nativista Grito do Quero-Quero



No dia 17 de dezembro deste ano, aconteceu na cidade de Igrejinha - RS o Festival de Música Nativista Grito do Quero-Quero, tendo como sede o CTG "Sentinela da Tradição". O evento foi um sucesso!



O show de intervalo ficou por conta de João de Almeida Neto, que interpretou canções de seu renomado repertório.



A qualidade das interpretações impressionou a todos que assistiam as 15 músicas concorrentes, que foram eleitas entre 100, para participarem do festival. Segundo o organizador do evento Ubiratan da Cunha Guilherme "O festival conseguiu atingir seu objetivo de abrir espaço para novos músicos e de valorizar a diversidade musical produzida em nosso estado. Chamamés, chacareras, candombes, milongas, vaneiras e todos os ritmos tradicionais estiveram no palco mostrando a força de nossa música. Importante salientar a homenagem feita a José Claudio Machado, o maior intérprete da música campeira de nosso estado, que faleceu no dia 12 de dezembro".

A comissão organizadora do evento colocará o nome do cantor nas próximas edições do festival no prêmio de melhor música campeira, o que se configura como justa homenagem a quem sempre buscou a autenticidade na divulgação da música campeira em toda a sua trajetória musical. Participaram como jurados do Festival pessoas atuantes na área musical e na organização de outros festivais. Foram eles, José Roberto Fischborn, Claudio Kierin, Léo Ribeiro de Souza e Ubiratan da Cunha Guilherme e eu, Patrícia Kebach. Tivemos muita dificuldade em eleger os melhores da noite, pois cada apresentação impressionava pelo profissionalismo, ensaio e presença de palco!! Um real espetáculo de musicalidade gauchesca!!!



O CTG Sentinela da Tradição, IGTF, 22ª RT e Prefeitura de Igrejinha foram os promotores do evento, e já anunciaram a 5ª Edição do Festival para o próximo ano com novidades na premiação. O Festival também contou com o apoio do Jornal Integração, da Coluna “Buenas e Me Espalho” e da Corsan.

A coordenação geral foi de Rubens Lopes, Jose Roberto e Ubiratan Guilherme que disseram que o festival deverá ocorrer novamente em novembro de 2012.

Os premiados da noite foram os seguintes:

1º Lugar: "Bastos e Versos", com Leandro Berlesi



2º Lugar: "Moçambique de Branco", com Jessilena Etcheverry



3º Lugar: "De Bois e Arados", com Adams Cezar



Música mais Campeira: "Entre o Palanque e o Chão", com Maurício Vargas

Melhor Canção Inédita: "A Nossa Canção", com Andrius Cruz


Música mais Popular: "Não Confirmou", com Lucas Oliveira

Destaque Feminino: Flávia Oliveira, que interpretou a música "Réstia de Vida"

Destaque Masculino: Leandro Berlesi, que interpretou "Bastos e Versos"



Destaque Regional: Luiz dos Reis, que interpretou "Ode ao Humano da Aldeia M'Byá Guarany"



Melhor Instrumentista: Vinícius Silva, que cantou a música "Milonga Para Um Funeral"

Melhor Indumentária: Grupo que interpretou "Milonga Para Um Funeral"

Conjunto Vocal: Família Cirne

Conjunto Instrumental: "Moçambique de Branco"

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Trabalho de Conclusão do Curso de Pedagogia: A CONSTRUÇÃO MUSICAL DO PROFESSOR NO AMBIENTE DE UM CORAL


Neste mês de dezembro, Joyce Aline Reis da Costa e Louis Marcelo Illenser avaliaram o TCC de Cheila Wingert que pesquisou a formação de professores generalistas, em termos de musicalização, no ambiente de Canto Coral.
Parabéns Cheila, pela brilhante pesquisa!
Abaixo o resumo de seu estudo!

RESUMO:
O presente estudo pretende esclarecer algumas questões sobre a construção musical e do cantar, bem como elucidar a importância da qualificação do docente para sua ótima atuação em ambientes formais e informais de Educação Musical. O principal objetivo a ser alcançado é responder à seguinte pergunta: Como ocorre a qualificação do conhecimento musical do professor no ambiente de um coral e como isso pode contribuir para o ensino da Educação Musical em oficinas de musicalização oferecidas dentro e fora da escola? A metodologia utilizada para verificar a presente pesquisa-ação foi híbrida, pois se utilizou de três instrumentos: o diário de campo, o questionário semiestruturado e a realização de uma oficina pedagógica musical a fim de observar os fenômenos investigados. A coleta foi realizada em diferentes contextos, incluindo a participação da docente-pesquisadora em ambiente de canto-coral, festivais, saraus, lual e outras atividades musicais. Além disso, foram organizadas oficinas de musicalização com crianças de 7 a 14 anos, que posteriormente responderam a um questionário previamente organizado. Observou-se, após a análise dos resultados, que a participação da docente em ambiente de canto-coral pode proporcionar um vasto aprendizado sobre a construção do cantar e de conhecimentos musicais variados. Mas, para desenvolver uma Educação Musical de qualidade, esse profissional precisa envolver-se em atividades que promovam constantes reconstruções cognitivo-musicais em vários espaços de musicalização.

Palavras-chave: Educação Musical. Formação continuada do professor. Oficinas de musicalização. A construção do cantar. Práticas significativas.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Arte e Inclusão: Mundo Alas

Mundo Alas Nasceu de um show improvisado em 2006 em Salón Blanco na Casa do Governo. O show foi filmado e transmitido para toda a Argentina em janeiro de 2007.
Mundo Alas é um exemplo de que podemos tudo, de superação de obstáculos, de ver as coisas mais além, de seguir caminhando e sonhando. É um mundo bom de verdade, um mundo que vemos poucas vezes, de ajuda permanente, como conta o músico León Giecco. Se apoia na arte como foco de integração e de inclusão social.
Tornou-se um pólo para as pessoas com necessidades especiais expressarem sua arte através de composições e execuções musicais, pinturas, esculturas. Abaixo, o trailer deste filme espetacular que muito me emocionou ao assisti-lo.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Término de Curso de Extensão "Como enfrentar a indisciplina na escola"



Nesta terça-feira, dia 29 de novembro, encerramos o Curso "Como enfrentar a indisciplina na escola" compartilhando reflexões de aplicações práticas sobre os ensinamentos do curso!
Quero salientar que várias das dinâmicas que realizamos para refletir sobre normas, valores e regras no ambiente escolar passaram pela elaboração de dinâmicas artísticas, como a composição de letras de música, poesias, cartazes com desenhos, colagens e recortes, esquetes, etc.
O espaço garantido às manifestações artísticas, em suas diferentes formas, pode agir de modo interdisciplinar com o tema transversal ÉTICA dentro da sala de aula, cujos alunos, além de aprenderem valores como amizade, solidariedade, respeito mútuo, cooperação, etc., poderão estar colocando em prática a expressão de seus universos subjetivos e manifestações culturais.
Quero agradecer a participação de todas as meninas, que me ensinaram tantas coisas, compartilhando os dilemas cotidianos do espaço escolar e que, junto com as colegas, abordaram e refletiram sobre possíveis soluções, para melhorar a qualidade dos processos de ensino e aprendizagem e o desenvolvimento da conduta social das crianças e adolescentes.

MUSICALIZAÇÃO DE BEBÊS: UMA INVESTIGAÇÃO EM DIFERENTES CONTEXTOS - THALIS NECKEL MIGUEL


Na última sexta-feira, dia 25 de novembro, Thalis Neckel Miguel, por mim orientado, apresentou seu trabalho de Conclusão do Curso de Especialização "Música: ensino e expressão", da Universidade Feevale, para a banca composta por Paula Pecker e Ana Cláudia Specht.
Conforme eu já havia prometido, trago abaixo o resumo deste trabalho maravilhoso, que foi muito bem avaliado pelas colegas presentes na banca examinadora!

RESUMO: Esta pesquisa teve por objetivo trazer informações sobre as diferenças e semelhanças no trabalho de musicalização de bebês de 0 a 2 anos em diferentes contextos, com a finalidade de auxiliar professores na adaptação de atividades na mudança de ambiente escolar. Foi utilizada a metodologia de pesquisa participante, na qual o pesquisador interage e interfere com o seu objeto de estudo. Os dados para análise foram coletados através de filmagens de quatro aulas: duas em uma escola pública de educação infantil, com uma turma de berçário, e mais duas em uma escola particular de música, com duas turmas de musicalização de bebês. Com os acontecimentos da sala de aula registrados em texto, foi possível analisar o funcionamento das atividades e o efeito que elas provocam nos bebês. O trabalho foi dividido essencialmente em três capítulos: no primeiro, é apresentada uma revisão teórica sobre a gênese da construção do conhecimento musical do bebê; no segundo, são demonstrados exemplos de atividades de musicalização para bebês; já no terceiro, o autor analisa trechos descritivos das aulas filmadas nas duas escolas, de forma a apontar diferenças e semelhanças nos acontecimentos em sala de aula, e, por conseguinte, trazer reflexões acerca das possibilidades de trabalho com as mesmas atividades em diferentes espaços. Conclui-se que o professor deve ter a sensibilidade de perceber a melhor forma de aplicar a mesma atividade em ambientes diferentes, não importando exatamente o quanto a atividade deverá ser modificada, mas de que forma esta poderá ser trabalhada de forma satisfatória para alunos e professor, sempre visando um trabalho agradável e incentivador para a evolução de ambos.

Palavras-chave: Educação musical. Bebês. Escola pública de educação infantil. Escola particular de música. Adaptação de atividades.

Festival grito do Quero-quero



Pessoal, as inscrições para este festival se encerram no dia 7 de dezembro!
Maiores informações pelos fones (51) 98417874 OU 84304808
MAIL: gritodoqueroquero@22rt.org.br

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Banca de Trabalho de Conclusão de Curso de Thalis

Nesta sexta, dia 25 de novembro, meu orientando Thalis Neckel Miguel defenderá seu Trabalho de Conclusão de Curso de pós-graduação em "Música: Ensino e Expressão", na Universidade Feevale. Seu trabalho leva como título "Musicalização de bebês: uma investigação em diferentes contextos". Na banca examinadora, estarão presentes as Professoras Mestres, formadas pela UFRGS e orientadas por Esther Beyer, Paula Pecker, especialista na área de música para bebês, e Ana Cláudia Specht, educadora musical, cantora e preparadora vocal dos corais e do pós de música na Universidade Feevale, doutoranda em Educação pela UFRGS.
Logo trarei fotos deste momento especial e o resumo do TCC de Thalis para o blog.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

VIII Congresso de Psicologia do Desenvolvimento - Nossa participação representada por Alexandre Herzog, meu bolsista de iniciação científica



Na semana passada, conforme as notícias blogadas por aqui, estive no Encontro Nacional da ABEM, em Vitória, apresentando a pesquisa que coordeno na FACCAT sobre a musicalização que acontece em Projetos Sociais do Vale do Paranhana. No iníco desta semana, Alexandre Herzog, meu bolsista de iniciação científica apresentou nossa pesquisa no VIII Congresso de Psicologia do Desenvolvimento que ocorreu em Brasília.



Vejam o depoimento de Alexandre sobre sua participação no Congresso:

"Com grande prazer participei do VIII Congresso de Psicologia do Desenvolvimento em Brasília, entre os dias 12 e 15 de novembro de 2011. Nesse evento, estiveram presentes diversos pesquisadores brasileiros e internacionais discutindo principalmente sobre o desenvolvimento humano e as questões que se atravessam nesse processo. No domingo pela manhã, às 10h 30, apresentei o trabalho sobre a pesquisa de musicalização em projetos sociais e em função de detalhes da organização do evento, não houve espaço para debate nessa sessão específica. Contudo, houve momentos de grandes trocas com profissionais da música e da psicologia, inclusive com professores alemães que estiveram presentes no congresso, os quais se impressionaram com a capacidade das comunidades brasileiras de se organizarem e se transformarem através da educação musical nos projetos sociais, conforme relatei a eles.
Em suma, foi uma inigualável experiência!!! Se pudesse, estaria lá ainda, hehehe, e também foi importante para pensar minhas questões de intervenção musical com famílias..."

domingo, 13 de novembro de 2011

Mais notícias sobre o XX Encontro Nacional da ABEM, em Vitória - Espírito Santo

O Congresso nacional da ABEM contou com a participação de mais de 1000 professores de todo país que compartilharam informações sobre Educação Musical em palestras, Oficinas, apresentação de Comunicação de Pesquisa e Sessão de apresentação de Pôsteres.

O tema deste ano foi "A Educação Musical no Brasil do Século XXI" e contou com o apoio do Governo do estado do Espírito Santo, da UFES, da FAMES e da Prefeitura Municipal de Vitória.

Na ocasião, também foi realizada reunião com todos os sócios da ABEM para eleger a Diretoria Nacional.
Nossos representantes continuam os mesmos durante mais dois anos:
Presidente: Dra. Magali Kleber
Vice-presidente: Dra. Jusamara Souza
1° Secretário: Dr Luis Ricardo Silva Queiroz
1ª Tesoureira: Dra. Cristiane Maria Galdino Almeida

Na ocasião também foi decidido que o Encontro Nacional será realizado de dois em dois anos, intercalado com Encontros Regionais.

Figuras importantes do cenário de Educação e Pesquisa de todo país se fizeram presentes.

Nas fotos abaixo, algumas interações durante a Oficina Coordenada pelas professoras Magali Kleber e Vânia Fialho.





As trocas entre os educadores musicais do Brasil inteiro não acontecem somente durante o Congresso. Talvez os momentos mais interessantes mesmo sejam os informais!! Abaixo, fotos dos meus colegas pesquisadores e professores na área, que servem de referência teórica para pensarmos numa Educação Musical cada vez mais significativa e, portanto, na implantação da lei 11.769, lei que obriga o ensino da música nas escolas de todo país, de modo qualificado.




sábado, 12 de novembro de 2011

XX Congresso anual da ABEM ( Associação Brasileira de Educação Musical) em Vitória - Espírito Santo.

Uma palhinha do que rolou na ABEM durante a oficina de Projetos Socioeducativos envolvendo música, escola e comunidade, coordenada pela Magali Kleber e Vania Fialho.



Logo postarei fotos e mais detalhes sobre este Congresso tão importante para os Educadores Musicais de todo país. No vídeo, um exercício de improviso em compasso quaternário, que marcamos com o Método de Ciavatta, "O passo". Aliás, Ciavatta estava por lá com sua maravilhosa oficina! Sempre bom rever colegas!!!

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Uma milonga original

Mas bah, tchê, olha a musicalidade destes gaudérios executando uma milonga prá lá de bem arranjada e original! Bem capaz que eu não iria blogar tanta criatividade!!!! Os caras só podem ser de Porto!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Notícia publicada na página da FACCAT: www.faccat.br

"Palco Aberto estreia com alta qualidade

Um festival que surpreendeu positivamente pela variedade de estilos musicais e alta qualidade dos trabalhos apresentados. Foi assim a estreia do Palco Aberto, cuja primeira edição ocorreu na noite de 21 de outubro, no auditório ao ar livre do campus das Faculdades Integradas de Taquara (Faccat).

Aproveitando a temperatura agradável, um bom público se reuniu sob o lonão montado no local para acompanhar a apresentação das 12 músicas concorrentes. Elas foram selecionadas entre cerca de 60 canções enviadas à organização do festival, que teve à frente a professora Patrícia Kebach.

Durante aproximadamente duas horas de apresentações, passaram pelo palco ritmos bem distintos, mesclando rock com nativismo, pagode, MPB e blues, entre outros. Para avaliar tamanha diversidade, foi montado um júri de perfil eclético, constituído pelo concertista Walter Kebach, pelos músicos Paulinho Show e Chico Paz e por dois integrantes da Academia Lítero-Cultural Taquarense que desenvolvem atividades na área: Júlio Schmitt e Alvaro Bourscheidt.

O rock Sofia, interpretado pela banda taquarense Antivírus (foto), foi o grande vencedor do Palco Aberto e ainda teve no guitarrista Richard Oliveira o melhor instrumentista do festival. César Santos, de Parobé, foi eleito o melhor intérprete pela performance em Depois que você chegar, da banda Adega Club. A música mais popular foi Dia a Dia, da banda Exata Escolha, de São Francisco de Paula. Todos receberam premiações em dinheiro.

“Foi muito importante este festival, porque abriu oportunidade para mostrar músicas que a gente faz. E, geralmente, ninguém dá muito valor para banda que trabalha com repertório próprio”, avaliou César Santos, o melhor intérprete. A coordenadora Patrícia Kebach elogiou a excelente preparação dos músicos para subir ao palco e interpretar suas canções. “Tudo levar a crer que esta será a primeira edição de muitas”, cogitou.

Também comemorando o resultado alcançado, o diretor-geral da Faccat, Delmar Backes, salientou a preocupação de formar um corpo de jurados com visão abrangente de música. “Foi um momento muito rico para a Faccat, comunidade acadêmica e região”, enfatizou Delmar Backes."

Antivirus Palco Aberto Faccat.mp4 SOFIA - A VENCEDORA DA NOITE!!!!


Música: Sofia
Banda Antivírus
Letra: André Beck
Música: Nathan Wallauer
________________________________________
Atrás do mito, encontrei Sofia
grito e rebeldia que me fez pensar
prostituta, mundana, vadia
que me deu prazer, é pura alegria
Zombou das vestes do rei
"o teu poder de onde é que vem?"
Roubou a certeza das leis
pois duvidar lhe dá prazer.
Na tarde fria encontrei Sofia
ou foi ela que me encontrou
Riu do meu jeito de me achar perfeito
beijou minha boca me devorou
Zombou das vestes....
Sofia... Sofia... Sofia...
Cedo ou tarde ela se anuncia
tem uma mania de querer saber
e pouco importa quem impôs respeito,
a sua pergunta quem vai responder?
Zombou das vestes...
E hoje em dia anda tão calada
não encontra as chaves que ela escondeu
Dança toda a madrugada e grita,
sem sentido, procura por Deus.
Zombou das vestes...

Os premiados do FESTIVAL PALCO ABERTO


Cesar Santos, que interpretou a música "Depois que você chegar", foi eleito melhor intérprete da noite.



Richard Oliveira, guitarrista da música "Sofia", foi eleito o melhor instrumentista da noite.


O prêmio de música mais popular ficou para a banda Exata Escolha, de São Francisco de Paula, que interpretou a canção de Felipe Reis e Israel Oliveira "Dia a dia"








E o principal prêmio da noite, a Melhor Música, foi dado à Banda Antivírus, pela performance da música "Sofia" de André Beck e Nathan Wallauer.






Fotos dos participantes do 1º Festival PALCO ABERTO da FACCAT



































Parabéns pelas belíssimas apresentações de TODOS os músicos que fizeram de Nosso Palco Aberto um SHOW Espetacular!!!!!